quinta-feira, 17 de outubro de 2019

ET goes international


Olá, olá…
Eu sei ando desaparecida… Deve ser do tempo ou do ar, não sei, mas ultimamente não me apetece fazer nada… E tenho tanto para fazer…
E como é que vocês andam?? 
Eu cá ando na minha vida de ET… 
Stresses e cenas… O normal de uma ET...

Com esta falta de vontade, nem falei da minha ida a Madrid, para acompanhar o Gajo na sua primeira prova internacional, a maratona de Madrid. Foi em Abril. Houve um stress porque anteciparam a prova um dia. Felizmente já estava tudo marcado para sexta-feira.
Além de ser a primeira prova do gajo no estrangeiro, ia ser o baptismo de voo da mini ET. E se ela tivesse medo lá em cima? A descolar ou a aterrar?? Felizmente ela adorou, passou o tempo encostada à janela a tentar descobrir estádios de futebol (sim ela é fanática por futebol). Já o Gajo surpreendeu-me, pois passou a viagem a agarrar a minha mão, assustado… Um homem que faz trails sem óculos  (o Gajo é cegueta sem óculos) tem agora medo de andar de avião...


Chegados a Madrid, houve outro stress, desta vez com o local onde íamos dormir. Ficou resolvido depois de uns telefonemas. Acabamos por ficar num sitio muito melhor, à beira de uma das principais avenidas de Madrid, a Gran Via. 
O levantamento dos dorsais era na Expo de Madrid e era gigante.

Já em Madrid
Na entrada havia uma parede com os nomes de todos os que iriam fazer participar. O Gajo e o N passaram imenso tempo à  procura dos nomes deles, é que as letras eram minúsculas. A mini ET para não variar estava super aborrecida, ela queria era ir à prometida visita ao Santiago Bernabéu...
A seguir estava uma parede onde se podia tirar uma foto para partilhar no Instagram. Havia a possibilidade de ganhar um dorsal para a prova de 2020.
Resolvi arriscar, só na brincadeira, já que normalmente eu não ganho nada (só grãos de areia na cabeça)... Tirei uma foto maluca, partilhei, e nunca mais me lembrei disso...

A atmosfera era brutal, sentia-se no ar a ansiedade a alegria... E eu cheia de inveja... No stand da Adidas estava lá um Português que vem muitas vezes aos nossos treinos, para apresentar os novos modelos de tennis. E ai começou o nosso martírio. É que o Gajo estava com um dilema, ia fazer a maratona com ténis e tshirt da Adidas, mas tinha calções e meias da Nike... Então o que é que ele fez no dia anterior à maratona??? Pois foi, comprou uns calções e meias da Adidas para fazer pandan com os ténis e a tshirt... 

- Ohh mãeee quando é que o pai se despacha???
-Ohhh mãe, blá blá blá... (já nem a ouvia...)

Lá se despachou e fomos embora, finalmente para a visita ao estádio do Real Madrid. Eu e o N ficamos na palheta a comer tapas e a beber cerveja água...

Água em Madrid...

Na manhã da prova, os "currais" das partidas era gigantes, era uma avenida cheia de gente a fervilhar de ansiedade e alegria, com musica por todo o lado. Resmas de gente a assistir, e eu cheinha de inveja. Queria tanto estar ali dentro...

Ia ter uma manhã agitada. Fui com a mini ET procurar a zona dos 17km, que era onde havia a separação entre a meia e a maratona. Foi emocionante, aqueles espanhóis não se calam, até a mini ET estava toda contente a incentivar os corredores. Tantos portugueses a correr.



Meia para um lado, maratona para o outro...


- Ohhh mãe e o pai, onde anda??
- Ohhh mãe, olha aquele espanhol maluco!!! (Ela é uma gozona)...

Finalmente aparece o Gajo, mas vem sozinho... Vinha super feliz, com aquele mega sorriso que me sossega...

- O N??? Não vens com ele porquê?
- Ele vinha bem, mas deixei de o ver...

Ohh pah... Fiquei mesmo preocupada, sabia que o N não andava, vá, bem... E se não conseguisse terminar a maratona, poderia ainda piorar...

Fiquei então à espera dele... Finalmente aparece e vem com um mega sorriso, vem super feliz, foi um alivio... Podia ir para os 30km descansada.

A zona dos 30km ficava num mega parque, muito bonito, e que estava apilhado de gente a incentivar os corredores... Mais uma vez fiquei com a ideia de que ia ficar com dor de cabeça, a ouvir os espanhóis a gritar... A mini ET só ria...

-Ohhh mãe o pai nunca mais vem!!!

Tadinha ela preocupa-se muito.
Estávamos numa zona que antecedia uma subidita... Finalmente aparece o Gajo. Vinha cansado, mas acho que ficou feliz por nos ver. Fomos a correr com ele um bocado pela subida.

Faltava o N... Mas não pudemos ficar para o ver passar, corríamos o risco de não ver o Gajo na meta.

Na zona da meta, consegui pôr a mini ET posicionada para passar a meta com o pai...

-Olha o pai!! Vai ter com ele!!!

Passado um bocado, lá vem o N, que passou a meta com os miúdos dele, acabadinhos de chegar do aeroporto...

O resto da estadia por Madrid foi muito divertida. Comemos montes de tapas, bebemos cerveja, vermute e claro água... Fomos aos museus, palácios, ruas, praças... A mini ET ainda foi visitar o estádio do Atlético de Madrid e convenceu o pai a oferecer-lhe uma camisola do clube, porque agora parece que faz coleção de camisolas de futebol...

Quando chegamos a Portugal, recebo uma chamada do N:

- Já viste o teu Instagram? Lembras-te daquela foto que tiraste na expo da maratona??

Pois é, eu ganhei um dorsal para a meia maratona de Madrid em 2020...

E em 2020, ET goes international... Wish me luck!!


quinta-feira, 22 de agosto de 2019

Peniche e as fogueiras extraterrestres

Dia 29 de junho (eu sei, eu sei que passou muuuito tempo) dia da corrida das fogueiras.

O treino foi mínimo, e como disse o amigo Torres uma semana antes das fogueiras, para obtermos resultados, temos que treinar.
Aquilo foi tipo uma chapada na cara, fiquei logo em modo "ET stressada"...

Bolas ele tem razão (dahhh, eu sei que é trivial e lógico, não inventou a pólvora, mas não sei porquê vindo da boca dele pareceu-me mais óbvio) eu não treinei o suficiente, como é que espero terminar a prova??
O drama...

No decorrer da semana tive consulta de "revisão dos grãos de areia da minha cabeça". Ainda não têm um tamanho suficiente para serem retirados... Nova ressonância agendada para Setembro... E nova reavaliação... Isto é muito stressante, sinto que estou em contagem decrescente para me abrirem a cabeça, bem não é só stressante, é aterrorizante... Mas já que por agora não vou ter a cabeça aberta, lol, mais vale aproveitar as coisas boas da vida, se possível sem stresses...

E foi o que eu tentei fazer ao longo da semana. A partir de 4ª feira tivemos as festas da cidade, e como o Gajo andava na organização da coisa, chegava sempre tardíssimo a casa, e acordava-me, e depois eu já não conseguia dormir... Na sexta feira à noite comecei com umas dores intensas na parte lateral da cabeça. Tipo 5 segundos... Comecei a stressar, eu sei, não devia mas é mais forte que eu... No sábado continuaram. O Gajo já dizia que me ia levar ao hospital, que aquilo não era normal, blá blá blá...
Cala-te Gajo, eu é que sou stressada, alguma vez ia deixar de ir às fogueiras por causa de uma dor de cabeça?? Nem pensar...

Além destes stresses, mais um... O Gajo estava com uma dor na virilha...

OMG o Gajo está lesionado!!!

- Se isto não passar vou fazer as fogueira contigo!! - Ameaçou o Gajo.

- #%%&%#&$%$ (asneira, daquelas cabeludas) mas é que nem pensar!!! 15km a levar contigo?? Fiz mal a alguém??? - Respondi-lhe...

No sábado depois do almoço fomos deixar a mini ET com os meus pais, e saímos TARDÍSSIMO de lá. O N estava a avisar que a partir das 19.30 a policia ia começar a fechar as estradas e adivinhem lá a hora prevista de chegada a Peniche, que o GPS indicava 19:32!!

"%$%$#%$$%$ (mais uma cabeluda)

Raios partam... Só etezisses...
Para ajudar à festa, acidente no IP6, mesmo quase a chegar a Peniche...
Só me apetecia gritar...

Chegámos a Peniche por volta das 20.15, e milagre, ainda dava para circular nas estradas. E milagre 2, conseguimos um spot para estacionar no parque "do costume". Pedimos a um casal que estacionou à grande, para estacionar melhor. Eles foram super simpáticos...

Depois foi o stress normal, comer, dorsais, ida à casa de banho... Felizmente temos já um local secreto para ir à casa de banho, sem filas e não, não é no canavial...

Entre fotos e distribuição de dorsais encontrei o grande João Lima.

E eis que estava na hora. O Gajo foi aquecer para testar a dor...
-Se isto começar a doer, vou contigo!!! - gritou ele.

Vais o #$#%%$#%...

Quando dei por mim estava com um mar de gente à espera da partida. Ainda encontrei um amigo que não via há séculos... O mundo é mesmo pequeno...

Muita gente mesmo...


E eis que começa a aventura, que felicidade, aquela gente toda a apoiar os corredores, é fantástico. Eu ia com um mega sorriso, a ouvir a playlist que tinha seleccionado e testado para esta prova.

Onde está a ET?? Foto da organização


Logo nos primeiros metros a Agridoce encontrou-me. Fomos uns metros a conversar, mas eu não tenho pedalada para a acompanhar...

Eu ADORO provas onde cruzamos-nos, uns vão para um lado, os outros para outro lado... Consegui ver uma grande parte do pessoal.

Este ano a parte inicial do percurso foi ligeiramente alterada, foi positivo, pois deu para ver o pessoal que vinha na caminhada.

Este ano resolvi experimentar tomar uns geis. Andei a testar umas marcas e no final decidi levar os que o Gajo usa. Têm uma tampinha, o que por um lado é prático, porque posso tomar aquilo aos bocados, mas por outro lado é um pesadelo a nível logístico, porque não cabe em nenhum mini bolso das leggings...

Isto de demorar imenso tempo a fazer uma prova dá para pensar em muita coisa... Faz-se tudo com mais calma e acho que se desfruta de muito mais. Por exemplo, nem toda a gente reparou no maravilhoso céu estrelado dessa noite, estava uma noite linda.

Senti uma diferença depois de tomar o gel, consegui manter um bom ritmo e na fase final ultrapassei muitas pessoas. Afinal funciona também comigo.
A cabeça volta e meia dava sinal, e tive que parar algumas vezes por causa da dor.
Já quase no fim vejo a minha "guarda de honra", o N e o Gajo. Para não variar o Gajo só percebe que sou eu mesmo em cima de mim, raios partam que o Gajo é memo vesgo...

E o final foi apoteótico, pelo menos para mim... E o tempo?? Uma bosta, mas ao menos terminei com um sprint, algo que normalmente não consigo fazer, e um mega sorriso nos lábios...

Acabei com 1:55:45... Pior que nos anos passados, mas esta prova soube melhor do que as outras...


Linda...
E depois foi o continuar da festa, com sardinhas, vinho, bolos, brindes e mais brindes...

sexta-feira, 28 de junho de 2019

Fogueiras 2019 - Façam as vossas apostas!!!

Pois é a corrida das Fogueiras é já amanhã, e não sei não, tudo pode acontecer...

a) Acordo mal disposta e não vou para Peniche porque não me apetece;
b) Queimo o dedo a fazer bolos para comer com as sardinhas, e fico em casa a comer bolos;
c) Vou para Peniche e falho a corrida porque fiquei 2 horas na fila para a casa de banho;
d) No meio da corrida fico "mal da barriga" por causa do gel que estava fora do prazo de validade (gel roubado ao Gajo) e chego à meta com 4 horas;
e) Faço EXACTAMENTE o mesmo tempo do ano passado;
f) Faço os 15km a andar, só porque me apetece e não sou a ultima;
g) Engano-me no percurso e passo na meta tão cedo, que nem ainda há sardinhas;
h) Faço uma prova normal, sem acontecimentos extraterrestres e consigo um tempo melhor que no ano passado;
i) Corro e esforço-me e nem assim consigo um tempo melhor que o do ano passado...


E podia estar aqui o dia todo a escrever opções, mas não me apetece!!!

E agora façam lá as vossas apostas!!! O que é que me vai acontecer amanhã??

Scalabis Night Race 2019

Sim sim, o relato vem atrasado, mas não podia deixar de contar o que aconteceu na Scalabis Nigth Race que para mim é a melhor corrida de 10km de estrada...
Não sei se é por ter um significado especial, por ter sido a minha primeira prova de 10km... Não iria faltar a esta festa, mesmo  com a indicação de que não podia correr, ia caminhar, agora faltar é que não...

Inicialmente custou-me um pouco aceitar que não podia correr nesta que é para mim, uma corrida mítica, mas fui aceitando que tinha que caminhar, apenas caminhar...

Este ano conseguimos angariar mais uns colegas, éramos 6, eu, o Gajo, o N, a CL (a nossa enfermeira preferida), a Maggie e o Carlos M (que corre bués)... E fomos cedo... Deu para levantar os dorsais, tirar fotos, comer numa tasca bem gira em Santarém, a TasCá, tirar mais fotos (eles têm um mural alusivo ao vinho), ver os participantes da caminhada a passar, e tirar fotos, comer uma sobremesa caseira (obrigada Maggie) com uma equipa amiga, e tirar fotos, e rir, e tirar fotos a subir e a descer o elevador panorâmico do centro comercial...



Ahh pois esteve!!!


Não ia correr...
Na TasCá pedi uns ovos rotos, que nesta tasca são feitos com pimentos. Eu tava na boa, não ia correr, podia comer e beber tudo o que quisesse, já a CL que comeu os ovos rotos comigo a coisa não era igual, ela ia correr, e aquilo caiu-lhe mal...
Petiscada

Pois é!!!!

Depois da petiscada, da sobremesa caseira, do abafado, das fotos, estava na hora de ir para a partida.
Este ano alem dos power rangers, vi também um picatchu e, ahhh, e não é que este ano tinham também a animar o pessoal, 2 ETs... Fiquei maravilhada, que loucura...
Foge do power ranger amarelo!!!



Foto da organização
Enquanto todos aqueciam, eu fiquei sentadinha num banco de jardim... Ahhhh eu ia aquecer no decorrer da prova, sim porque a ia fazer a andar, então não posso correr...

Nessa altura a Agridoce e a Fabiana juntaram-se a mim e ao N (que já tinha desistido de aquecer). Finalmente conhecemos-nos!!!

E eis que chega a altura de começar a prova. Os gajos desapareceram lá para o inicio, e fiquei eu a CL e a Maggie. Devo de ter dito umas 10 vezes que ia só caminhar, elas já deviam de estar fartas de me ouvir dizer aquilo... A CL olhava-me sempre com um ar de quem me iria bater se eu ousasse correr com pontos e adesivos na barriga...

E começa a contagem decrescente, começam as borboletas a voar na minha barriga, ohhh que saudades daquele ambiente...
E começa...
Vou inicialmente a andar, mas depois parece que fui empurrada para correr... Ainda olhei à minha volta para ver se a CL estava ao pé de mim, mas não, elas já lá iam... E eu continuei a correr, agora sem medo de levar um calduço da CL.
Ia devagar, mas mesmo muito devagarinho, sentia-me bem e sem dores... E lá fui eu, com um mega sorriso, bolas estava a correr, muito devagar, mas para uma ET como eu, e depois do que passei, sentia que era a pessoa mais rápida do mundo, foi uma sensação de outro mundo, algo extraterrestre. Consegui, num ritmo de caminhada rápida fazer cerca de 2km sem parar... Volta e meia sentia um puxão na zona dos pontos, ai parava e caminhava.

Na mítica zona do tintinho lá estavam os power rangers, o Picatchu e os ETs!! Tive que tirar uma selfie com um dos ETs, ficou o máximo, ri-me tanto...

Eu sei que é parvo, mas estava tão feliz, a correr, devagarinho.
Quando começaram a lançar o fogo de artificio estava ainda muito longe da meta e aí é que a "coisa bateu", porra normalmente estou a chegar à meta nesta altura, foi um momento estúpido, com as lágrimas a correrem (estava com calor naquela zona, de certeza), um misto de tristeza e frustração, porquê eu, porque é que tudo me corre mal, mas espera, fui operada e nem devia de estar a corrinhar, devia de estar a andar devagar...

Tive que ter uma conversa séria comigo!!!
- Ohhh ET, estás te a passar ou quê??? Pára lá de suar dos olhos e corre, mas devagarinho!!!
E porra, corri, devagarinho, mas não parei...
Pelo caminho fui dando força a algumas pessoas que iam a caminhar... Houve uma pessoa em particular que foi a maior parte do tempo comigo, a Rita, ela parava e eu dava-lhe força, eu parava e ela dava-me força. Acabamos por ficar amigas, pelo menos no face, e vamos falando. Já sei que a vou ver nas fogueiras.
Até que:
-Olha o Carlos (ele é muito alto, vê-se bem ao longe) e o Gajo???
Eles terminaram e foram buscar-me, que bom.
O Gajo portou-se bem, acho que ficou contente de me ver a correr, foi ao meu lado a dar-me força:
- Boa, tás a ir tão bem, estou orgulhoso de ti (acho que foi isso que ele disse...)
Na verdade não ia a ouvir nada, estava mesmo concentrada em terminar. Volta e meia parava, uma dorzinha nos pontos...
E aparece o N. Nem precisou de dizer nada, fiquei feliz de o ver a correr ao meu lado. Percebi que estava a acontecer algo entre os gajos e umas fulanas que estavam sentadas à espera de não sei quem e que acabaram por integrar a comitiva ET.
E lá fomos todos até à meta. Eis que aparece a Maggie e a CL, que me fez um olhar que era um misto de orgulho com desaprovação...

Aquela chegada à meta foi brutal, fiz um tempo miserável mas sentia-me a recordista mundial, foi épico...

segunda-feira, 15 de abril de 2019

A bola de andebol, pontos novos e a estafeta Cascais-Oeiras-Lisboa

Bolas, que tema gigante, mas teve que ser...

Ainda não vos tinha contado que sou conhecida, no hospital onde fui operada, como a senhora que tinha uma bola de andebol...

Pois, não se riam... Coitada, "aquela" coisa tinha problemas de identidade, de fruta, passa a objecto desportivo...

Esta quinta feira fui à consulta de acompanhamento da operação que fiz, e quando a minha médica viu o meu segundo umbigo resolveu chamar a colega responsável por aquela obra de arte.
Marcou um numero de telefone, e pôs em alta voz a chamada:

- Lembras-te da ET?? - pergunta a minha médica.
- Humm?? ET??? Não!!! - responde a médica artista.
- A senhora da bola de andebol!!!!!
- Ahhhh, a que demorou imenso tempo???
- Sim!! Anda cá ver o que lhe fizeste!!!

De laranja, a melão e agora bola de andebol, paz à sua alma, porque essa bola de andebol já não faz mal a ninguém!!!

Depois de muita análise ficou decidido que eu seria vista por uma cirurgiã que estava nas urgências, aparentemente era só preciso dar um "pequeno toque" (medo) para deixar de ter dois umbigos...
Antes de rumar às urgências, tive autorização para fazer TUDO!!! Estava autorizada a correr. Calhava bem, pois no domingo iria participar na mítica estafeta Cascais-Oeiras-Lisboa... Que maravilha, enquanto estive à espera de ser vista na cirurgia geral comecei a fazer um planeamento mental de treinos...
Ahhh que bom, em vez de demorar uma hora a fazer 5km, iria demorar, vá uns 55 minutos, fantástico, que saudades de correr...
Entretanto a médica da cirurgia viu o meu segundo umbigo.
- Hummm, não me parece que baste dar um "pequeno toque", mas vamos tentar?? Deite-se na maca!!

Anestesiou a zona e fez sei lá o quê... Conclusão, não ia lá com um "pequeno toque"...

- Isto tem quer aberto para desprender a pele. Se quiser posso fazer-lhe isso agora!!! - disse a médica

Ok, bora lá!!! Vamos lá despachar a coisa.
E pronto, o meu segundo umbigo foi todo cortado, a pele desprendida, sangue por todo o lado, e pontos, não sei quantos (nem quero saber) e...

- Agora durante 15 dias não pode fazer esforços!!! - disse a cirurgiã.
Bolas...
- Mas posso correr?? Ainda agora me disseram que podia correr!!!
- Não, só daqui a 2 semanas!!

NNNNNNNNNNNNNAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!

Porquê??? Porquê???
Lá terei que me conformar... E caminhar na estafeta e na Scalabis...

No dia da prova, juntamos-nos todos numa pastelaria. O N trazia os dorsais e as camisolas. Depois de tudo distribuído, lá fomos nós até Algés. Deixamos os carros e fomos para a estação de comboios.
A prova consiste num percurso de 20km, que pode ser feito de duas formas, em modo estafeta divido em 4 percursos de 5km , ou em modo 20km em que o atleta faz o percurso completo.
Estavam 2 colegas de equipa para os 20km, o Gonçalo e o N (que vai fazer o relato do que aconteceu na sua prova, não é N??), o resto estava dividido em 6 equipas de 4. A minha era a equipa nº1, era a equipa do relax... A Rita começava, depois a Ana fazia o 2º percurso e entregava o testemunho à Sara, que por sua vez me entregava o testemunho. Iamos terminar aquilo em beleza, comigo a caminhar...

Foi tudo de comboio, com excepção do pessoal do ponto 4 da estafeta. Estávamos a 2.5km de distancia do ultimo ponto de troca e tínhamos mais que tempo, fomos a pé. Esteve quase sempre a chover, chuva miudinha...
Quando chegámos ao ponto 4, aconteceu algo meio extraterrestre...

Estava tudo na brincadeira quando de repente um carro que passava no outro lado da estrada e que ia a grande velocidade, embateu num poste... Foi uma barulheira... Grande parte da frente do carro voou, o para-choques quase foi ter ao passeio onde estávamos... O condutor (que tinha um dorsal da corrida) saiu do carro ileso e começou a recolher as peças espalhadas na estrada. Enfiou (é que enfiou mesmo, com a ajuda dos pés) tudo nos bancos traseiros do carro e arrancou, mesmo com o carro a pingar água ou oleo...
Depois deste momento surreal... Ficamos à espera...

À espera...

O primeiro atleta dos 20km levava um avanço gigante para o segundo... E eis que começa a sair o pessoal da estafeta... Da nossa equipa o primeiro a sair foi o Adelino, depois foi a Carla, o Carlos, a Maggie e finalmente fui eu.

SARA?????!!!!!

Enquanto esperava o meu testemunho, passou o Gonçalo, o grande João Lima (desta vez reconheceste-me!!! ou não??) o N e até o Gajo que tinha feito o primeiro percurso da estafeta e continuo com o Miguel.
O meu trajecto foi fácil. A Sara continuou comigo e a Graça (que passou o testemunho à Maggie) também. Fomos a conversar, mas com um passo acelerado... Fomos ultrapassadas pela Rita e pela Ana (da minha equipa), que mesmo depois de passarem o testemunho continuaram.
O Gajo fez os 20km e foi apanhar-nos a meio do meu percurso, disse-nos que havia chocolates na meta, é claro que aceleramos ainda mais o passo. E voltou para a meta com a Ana.
A chegar à meta vi o resto do pessoal. Coitados, grande seca que apanharam... Apanhei a mão do N e não a larguei, ia passar a meta comigo!!
Mesmo no final ainda pensei em correr, só um bocadinho e devagar, mas a ET responsável foi mais forte. Nada de corridas!!! Bem pode ser que corra um bocadinho na Scalabis, vamos ver...

Que saudades de estar assim com a família, maravilha...

A próxima aventura, Scalabis, vamos ver o que vai acontecer...

Já agora, faz hoje 4 anos que "me cortaram o pescoço" e tiraram a tiróide!!

RIP Tiróide Extraterrestre

segunda-feira, 1 de abril de 2019

A teoria das cerejas

Eu tenho uma teoria, que as coisas más vêm normalmente aos pares. Às vezes 2, 3, 4 pares... Por isso quando na segunda feira passada o telemóvel caiu no chão e rachou todo, fiquei (além de cantar a musica do Conan na minha cabeça) assustada. Principalmente porque no dia seguinte ia saber o resultado da ultima ressonância magnética.
Tento não ser negativa, mas desta vez estava com um felling que algo nessa terça feira, nessa consulta ia correr mal. Foi de tal magnitude o felling que achei melhor não usar maquilhagem nos olhos (sim a ET usa às vezes maquilhagem), não queria esborratar os olhos quando começasse a chorar pelas más noticias...

- Ohh ET agora és adivinhadora do futuro?? - Perguntam vocês!!!

Pois parece que posso fazer uma parceria com a Maia, ou com o Professor Bambu...

VENHA DESCOBRIR O SEU FUTURO COM A ET!!!

Dava um excelente slogan!!

Pois, continuando... Cheguei ao hospital com um monte de borboletas a voar na minha barriga... A sala de espera da Neurologia é a mesma das análises clínicas, hospital dia, visitas, e sei lá mais o quê...
Ou seja é uma confusão e barulho por todo o lado... E com altifalantes que devem ser do século passado e chamadas para as análises tudo ao mesmo tempo...

- Mariunhoxiiii ao hospivunvunxia!!

- Senha A243 ao gabinetFrancisxixo 1 Sala dovovi!!

Bolas, como é que vou ouvir o médico chamar...

- ET sala xumx...

Sou eu, sou eu, mas qual é mesmo a sala???

Chegada à sala olhei para a cara do médico e percebi que afinal sou mesmo vidente... Porra, queria tanto estar enganada. Estava tão nervosa...

- Pois é minha querida os seus meningiomas cresceram... - o médico falou super devagar e com uma voz muita ternurenta.

Queria mesmo estar enganada... Só sentia as lágrimas a cair... Merda de sina, merda de vida...

Ele lá explicou que cresceram e como são induzidos pela radioterapia que fiz há quase 30 anos, têm que ser levados a sério, existe um pequeníssima probabilidade de serem malignos. Próximo passo é um neurocirurgião ver as ressonâncias. Ou seja vou ter que esperar pacientemente (pois, pois) que me digam algo. Para já tenho que ficar atenta a dores de cabeça constantes, ataques epilépticos e perda de sensibilidade do lado direito... Fantástico não é??

Aproveitei para falar com o médico (que é o chefe do serviço de neurologia, chique, não é??) sobre o projecto dos Barnabés (grupo de sobreviventes de cancro infantil) relativo às consultas e acompanhamento dos mesmos. Se eu não insistisse com as minhas queixas de perda de memória e falta de concentração, nunca se tinha descoberto estes... estes... estes... (não estou a ter um ataque epiléptico, não se preocupem) sei lá... estes grãos de areia (estas coisas medem 22x17mm e 11x4mm) na minha cabeça. E há tantos sobreviventes que não têm este acompanhamento que eu tenho... Mas isto vai mudar!!!!

MARK MY WORDS!!!!!! 

Mas a vida continua, o sol nasce todos os dias, e eu com estas porcarias na cabeça, a crescer... Mas não quero pensar mais nisto... Quero que a médica me diga que posso correr, quero voltar a ter energia para correr e caminhar, quero aproveitar a vida!!!

E vocês estão a aproveitar a vida, ou a vê-la passar??


segunda-feira, 18 de março de 2019

Life sucks, and then you die...

Pois é, a vida é uma porcaria, diria mesmo uma merda, e a única, a unicasinha coisa que temos garantida é a morte...

Desculpem a linguagem, mas às vezes tem que ser... Este texto é para ti!! Sim tu sabes que é para ti!!

A depressão é uma coisa lixada, até por quem não está deprimido!!!
Pois, não é fácil para quem não está (e muito mais para quem nunca esteve) deprimido perceber porque é que alguém que aparentemente tem uma vida saudável e sem problemas graves, está apática, em baixo, distante, deprimida...
Não é só o deprimido que sofre, todos os que estão à sua volta sofrem, têm duvidas...
-Será que o magoei?
-Disse ou fiz algo para o magoar?

Eu passei por algo que posso hoje dizer que foi uma depressão.
Uma semana (mais ou menos) depois de eu ter sido internada na pediatria do IPO, foi internada a Leila, uma menina que tinha a minha idade e a mesma doença que eu. As nossas mães ficaram amigas. E nós também, dentro do possível. Via-mo-nos nas consultas, fazíamos tratamentos na mesma altura. Mas quando fui para Londres para fazer o meu auto-transplante perdi o contacto com ela. Nunca mais a vi, e a minha mãe deixou de falar dela... Passados uns 10 anos descobri que ela não tinha sobrevivido. Comecei a bater mal. Estava tão mal que lembro-me de estar um dia na gare do Oriente a ver o comboio a chegar e pensei que se saltasse toda a dor e culpa que sentia por ter sobrevivido iria desaparecer... Nessa altura percebi que tinha que fazer algo por mim, tinha que tirar aquela culpa da minha cabeça. Falei com uma psicóloga, a mesma que 10 anos antes me tinha acompanhado no internamento. Fez me bem falar com alguém que me entendia.

Volta e meia tenho dias "depré" mas depois lembro-me dos meninos que estão naquele 7º andar, a sofrer, lembro-me dos choros, das caras desesperadas dos pais, e penso na perda de tempo que é estar triste e zangada, temos uma vida e algo que está garantido, a morte. Aprendi a ver o lado positivo e engraçado das MERDAS que me acontecem. Tem que haver sempre algo positivo, mesmo nas coisas más...
Até na depressão...

Se te sentes em baixo, sem vontade de nada, fala com alguém, pf fala com alguém, se quiseres fala comigo, estou aqui para o que precisares, prometo que não volto a dar-te um calduço...