segunda-feira, 18 de março de 2019

Life sucks, and then you die...

Pois é, a vida é uma porcaria, diria mesmo uma merda, e a única, a unicasinha coisa que temos garantida é a morte...

Desculpem a linguagem, mas às vezes tem que ser... Este texto é para ti!! Sim tu sabes que é para ti!!

A depressão é uma coisa lixada, até por quem não está deprimido!!!
Pois, não é fácil para quem não está (e muito mais para quem nunca esteve) deprimido perceber porque é que alguém que aparentemente tem uma vida saudável e sem problemas graves, está apática, em baixo, distante, deprimida...
Não é só o deprimido que sofre, todos os que estão à sua volta sofrem, têm duvidas...
-Será que o magoei?
-Disse ou fiz algo para o magoar?

Eu passei por algo que posso hoje dizer que foi uma depressão.
Uma semana (mais ou menos) depois de eu ter sido internada na pediatria do IPO, foi internada a Leila, uma menina que tinha a minha idade e a mesma doença que eu. As nossas mães ficaram amigas. E nós também, dentro do possível. Via-mo-nos nas consultas, fazíamos tratamentos na mesma altura. Mas quando fui para Londres para fazer o meu auto-transplante perdi o contacto com ela. Nunca mais a vi, e a minha mãe deixou de falar dela... Passados uns 10 anos descobri que ela não tinha sobrevivido. Comecei a bater mal. Estava tão mal que lembro-me de estar um dia na gare do Oriente a ver o comboio a chegar e pensei que se saltasse toda a dor e culpa que sentia por ter sobrevivido iria desaparecer... Nessa altura percebi que tinha que fazer algo por mim, tinha que tirar aquela culpa da minha cabeça. Falei com uma psicóloga, a mesma que 10 anos antes me tinha acompanhado no internamento. Fez me bem falar com alguém que me entendia.

Volta e meia tenho dias "depré" mas depois lembro-me dos meninos que estão naquele 7º andar, a sofrer, lembro-me dos choros, das caras desesperadas dos pais, e penso na perda de tempo que é estar triste e zangada, temos uma vida e algo que está garantido, a morte. Aprendi a ver o lado positivo e engraçado das MERDAS que me acontecem. Tem que haver sempre algo positivo, mesmo nas coisas más...
Até na depressão...

Se te sentes em baixo, sem vontade de nada, fala com alguém, pf fala com alguém, se quiseres fala comigo, estou aqui para o que precisares, prometo que não volto a dar-te um calduço...
 


terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

Operação extraterrestre...

Só podia, não é?? NÃO!!! Mas porque é que as coisas têm que ser sempre extraterrestres... Porque não que não posso ter direito a coisas normais?? 

Então eu explico:
Depois do meu mítico antepenúltimo lugar no corta mato comecei com uma tosse horrorosa. De certeza que a senhora que chegou em penúltimo é praticante de vudu ou rugadora de pragas profissional pois a tosse não passava de maneira nenhuma... E o problema é que não nos operam se tivermos com tosse por isso imaginam o meu stress pré operatório. Tinha que acabar com aquela tosse. Experimentei tudo, todas as mésinhas. Na sexta-feira anterior à cirurgia fui às urgências, tal era o desespero. Felizmente temos o SAMS e fui rapidamente atendida por uma médica 5*. Ela percebeu o meu desespero. Receitou-me antibiótico, anti-histamínico e um chá com gengibre, limão, mel e bagaço ou whisky e gargarejo com água morna e sal...


Além destas misturadas, tentei ainda o xarope de cenoura com mel e gema de ovo com mel e umas gotas de limão... Confesso que beber chá com whisky ao pequeno almoço em frente à mini ET me envergonhava um pouco...
Sentia-me melhor com o xarope de cenoura, a gema de ovo com mel e os gargarejos com água salgada...
Não sei se a senhora que ficou em penúltimo se cansou de me rogar pragas ou estragou a boneca de vudu ou então as mésinhas funcionaram, mas no dia antes da operação a tosse tinha passado...

Então dia 30 lá fui eu com vontade de tirar o melão, não estava nervosa... Quando chegamos lá a enfermeira disse que a cirurgia demorava cerca de 2 horas e que o Gajo iria ser avisado por SMS quando começava, quando fosse para o recobro e quando fosse para a enfermaria. A coisa começou bem. Fui picada 2 vezes para tirar sangue. O jantar foi uma sopa sem sal e tive que beber um cocktail horrível para "tratar dos intestinos"...

Na quinta, dia 31 levantei-me bem cedo, tomei banho e fui para o bloco. Estive imenso tempo à espera. Estava sempre com medo de tossir... E eis que chega a altura de dormir... devia de ser umas 10h quando a operação extraterreste começou...

Dormi, dormi, dormi. Sei que sonhei, mas não me lembro do sonho... Estava descansada sem noção do stress que provoquei na minha família e amigos.

Até que o descanso terminou... Abri os olhos, não conseguia respirar e sentia um desconforto... Não tinha noção onde estava nem que horas eram, mas sentia que era tarde...
Ouvi a voz da CL, a enfermeira da nossa equipa, que trabalha no hospital onde estava... E olhei para o lado e vi o Gajo... Mas onde estava?? Não era suposto estar na enfermaria???
Estava na unidade de cuidados intermédios. Para não variar a minha cirurgia tinha que correr mal...

Raios partam o melão...

Passei a noite em claro... Havia um relógio à minha frente que me parecia demasiado lento, as horas não passavam. Estava um frio gélido, a minha cama não tinha comando, por isso tinha que estar sempre a pedir a alguém que ajustasse a cabeceira, as pessoas que estavam nas outras camas tinham ataques de tosse horrorosos e/ou acesso de loucura e começavam aos berros... Foi uma noite extraterrestre, não me chegavam as dores e o desconforto...

Na manhã seguinte ainda me sentia pior. As dores e o desconforto de estar sempre na mesma posição aliado ao cansaço que sentia e não perceber o que se tinha passado. Foi muito mau... Até que vejo a minha medica na porta. Fiquei logo com "os olhos a suar" (devia de ser da anestesia)...

- Drª o que é que correu mal? Porque é que estou aqui?

A minha médica é muito directa e relax!!!

- O teu mioma era muito duro, foi muito difícil retira-lo. Tivemos que fazer um furo extra e perdeste muito sangue. A tua cirurgia demorou 6 horas e tiveste que levar 2 transfusões de sangue!!

6 HORAS??? Bolas 6 horas... Pareceu me muito tempo para tirar um melão. Devia de ser um melão do Entroncamento (um fenómeno)...

Parece que costumam tirar laranjas e melões aos bocados...

- E ninguém tirou fotos?? Gostava de ver o famoso mioma...

Noop ninguém se lembrou de tirar fotos ao melão do Entroncamento, mesmo assim tive direito a recordações do querido melão, 4 furos na barriga, uma "estadia" no hospital para esquecer, mais 2 transfusões de sangue e 1 mês de baixa para recuperar em modo "come e dorme"...
Depois de fazer choradinho a todos os médicos e enfermeiras para ir para a enfermaria, lá os convenci, no final do dia tive autorização para sair dos cuidados intermédios. E precisamente nessa altura comecei a sentir um dos efeito secundários da laparoscopia, o ar. Eu por acaso não sabia mas durante a cirurgia é introduzido dioxido de carbono para auxiliar os médicos. Imaginem a quantidade de gás que eu tinha, foram 6 horas... Não consigo entender porque é que só passado mais de 24 horas é que comecei a sentir me a inchar... Devia de parecer um balão com pernas, braços e cara de caveira a andar devagar tipo velhinha corcunda...
A minha estadia de quase uma semana quase dava para escrever um livro... Cheguei a um ponto em que não conseguia parar de chorar, parecia que nada corria bem. Acreditem que já passei por bem pior, mas mesmo assim não conseguia deixar de ficar triste, porque é que não podia ter uma "experiência normal" num hospital? Bolas sou mesmo azarada...

Como os valor da minha hemoglobina  estavam a descer diariamente, os médicos suspeitavam que tinha algures uma hemorragia. O valor normal é de 12 (não sei a unidade) e o meu minimo foi 7.2!!!
Não imaginam os exames que fiz para  não detectarem nada... Levei mais 2 sacos de sangue (560ml de sangue novo ahhhhhh) e fiquei mais ou menos bem... E FINALMENTE fui para casa...

- Drª posso caminhar??

- Nem pensar, máximo 10 minutos mas só daqui a 2 semanas, nada de esforços...

A recuperação tem sido difícil. A energia está a regressar aos poucos. A cabeça ficou afectada pela anestesia, e fiquei com um segundo umbigo. Pois é o furo extra que fizeram acima do umbigo ficou em formato cova... Vamos ver ser volta ao normal. Provavelmente não, e porquê???

PORQUE SOU UMA EXTRATERRESTRE, AGORA COM 2 UMBIGOS!!!

Durante a minha estadia no hospital uma enfermeira disse me que iria receber um relatório detalhado do melão do Entroncamento, com o peso. Só vos digo uma coisa, se o fruto pesar menos que 4kg vou ter que gozar com a médica.

- Drª 6 horas e 4 furos para tirar um melão de 3kg??? Tem que mudar de profissão!!! Não tem jeito para tirar melões!!!

Nisto tudo o que mais me incomoda, mais que as dores, o desconforto, as picadas nos braços, barriga e pernas, etc, é que enquanto eu estive 6 horas a dormir, a sonhar, ninguém sabia nada de mim, nada... Foram horas de desespero para a minha família e amigos. Nem a CL que trabalha no hospital conseguiu saber o que se estava a passar. Deviam de andar à porrada com o melão do Entroncamento e não tinham tempo para avisar ninguém que eu estava bem, ou mais ou menos bem...

Mas já passou e não vejo a hora de voltar a caminhar e a correr. O ultimo lugar está sempre garantido...

Mimos 

quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

Música para o melão...


If something has to change then it always does 
If something has to change then it always does

You don't need this melão, not right now 
No, you don't need this melão, not right now

Oh you don't need this melão you don't 
You don't need this melão you don't 
You don't need this melão you don't 
You don't need this melão you don't
You don't need this melão you don't 
You don't need this melão you don't 
You don't need this melão you don't 
You don't need this melão

If something has to give then it always will 
If something has to give then it always will

You don't need this melão, not right now 
No, you don't need this melão 
Not right now, no, no, not right now

You don't need this melão you don't 

Youdon't need this melão you don't 

You don't need this melão you don't 
You don't need this melão you don't 
You don't need this melão you don't 
You don't need this melão you don't 
You don't need this melão you don't 
You don't need this melão you don't

Would you fall down 
Would you fall down

Oh you don't need this melão you don't 
You don't need this melão you don't 
You don't need this melão you don't 
You don't need this melão you don't 
You don't need this melão you don't 
You don't need this melão you don't 
You don't need this melão you don't 
You don't need this melão you don't know, won't fall down

You don't need this melão you don't 
You don't need this melão you don't 
You don't need this melão you don't 

You don't need this melão you don't 
You don't need this melão you don't 
You don't need this melão you don't 
You don't need this melão you don't 
You don't need this melão you don't

Bullets dos Editor, alterada...

https://youtu.be/HWAcw-861Sk

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

A felicidade numa descida...

Finalmente, foi pouco, mas encheu-me a alma de felicidade...

Este fim de semana resolvi tirar os ténis da gaveta...

No sábado houve a primeira prova do torneio das localidades de Loures. Ia ser uma prova de corta mato, de 4km. O pessoal da equipa inscreveu-se em massa neste torneio. Para o corta mato éramos 12. A primeira a entrar em competição era a mini ET... Eu avisei-a que ia ser uma prova difícil, porque aquelas meninas treinam todos os dias, enquanto ela brinca e vê televisão, não podia achar que ia fazer um brilharete. O problema é que ela não sabe perder, fica danada. Entretanto tinha começado a chover, ia ser um corta mato enlameado... A mini ET andava a aquecer com o Gajo que lhe ia dando umas dicas...

- Só espero que ela não seja a ultima, se for nunca mais vai querer participar neste torneio...

E eis que começa a prova dela. Ela fazia uma volta de 1km. E começam a chegar os primeiros... E a mini ET??? Nada... Será que caiu?? Começo a ficar preocupada. Então começo a vê-la... Vinha danada, pegou no buff dela (que não é da Buff porque ela não é trail runner profissional) e atirou-o para o chão. Quando vi aquela atitude passei-me, mas passei-me mesmo. Fui ter com ela e quase que a empurrei para acabar aquilo. Foi um mega drama. Não sei a quem é que ela sai assim, dramática, deve ser ao Gajo, de certeza...

Estava feito, mesmo com aquele nível de drama, conseguimos um pontinho para a equipa, o primeiro...

Depois estava na altura nas mulheres de vários escalões, estava na minha hora... Nessa altura chovia muito, já tinha os pés a boiar nos meus ténis de estrada, tão adequados à lama, mas não estava preocupada, só queria divertir-me, e aproveitar a energia que sentia para tentar correr o que conseguisse... Há mais de um mês que não treinava e ainda sinto a falta de energia nas pernas e dificuldade em respirar quando subo escadas, mas nada me ia impedir de me divertir, nem a porcaria do melão. Ponho os fones nos ouvidos e ligo a playlist que ouvia quando estava proibida de fazer esforços. Senti que já estava a suar dos olhos... Controla-te ET!!!

E começa... Bolas a playlist começa a falhar, o telemóvel começa a fazer chamadas... Ouço nos fones, estou?? Estou?? Tive que parar, tirar o telemóvel da bolsa e avisar a S que agora não podia falar com ela porque estava a correr... E pronto, lá estava a ET no final... Olho para trás e vejo uma senhora a correr com um ritmo muito lento e "dou corda aos sapatos". Agora sim posso apreciar a prova, sentir o vento, olhar a paisagem, sentia-me tão bem. A lama foi facilmente contornada, uma subida daquelas que temos de fazer com um impulso e uma descida, curta, mas das boas...

-OHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!!!!!

Não resisti, tive que dar um gritinho de felicidade... Tão bom, como é bom perceber que as coisas que nos trazem alegria são tão simples, como uma descida com lama...
E lá fui eu com um mega sorriso na cara.

A prova era bem difícil, corri o que consegui, e quando estava cansada andava... Olho para trás, a senhora que ia no final nem se via... Podia ir nas calmas...

Esta prova consistia em dar 2 voltas a um circuito de 2km. Antes da meta havia uma subidona difícil. Depois dessas subida estava o Gajo e o resto do pessoal a dar apoio.

Quando estava a terminar a 1ª volta avisei o Gajo:

- Isto é difícil, mas não sou a ultima!!

Eu acho que no momento ele não acreditou.
No inicio da ultima volta vou sempre muito perto de 2 senhoras. Uma delas com evidente excesso de peso e calças de fato de treino de algodão. Eu fiquei com um trauma desde o TNLO que fiz com o Gajo (21km de tortura) por causa de pessoas que correm com calças de fato de treino de algodão... Esta ultima volta só ouvia na minha cabeça o Gajo:

- Vais terminar atrás desta senhora com evidente excesso de peso e CALÇAS DE PANO????

AAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!!!

Não podia.

Percebi que ela não queria que eu a ultrapassasse... Eu corria, ela corria, eu andava, ela andava... Mau, ia ser difícil, mas eu não queria ter que ouvir o Gajo a gozar-me, tinha que fazer alguma coisa...
Ia dar tudo na recta da meta. Assim, depois da subida, comecei a dar-lhe gás!!!
Imaginem o Bolt em camera lenta!!!
A senhora apercebeu-se e também puxou, mas eu estava imparável, até que aconteceu algo que nunca pensei que me acontecesse...

A luta pelo antepenúltimo lugar ia ser épica!!! 

Então não é que a senhora, ao aperceber-se que eu a ia ultrapassar tentou meter-se à minha frente. Tive que parar senão levava um empurrão e lá ia a ET para o chão. Mas às vezes há coisas sem explicação, o universo queria que eu fosse a antepenúltima.
Logo a seguir à tentativa de falta para cartão vermelho, a senhora engana-se e sai do percurso. Desta maneira consegui passar-lhe (sem necessidade de recorrer a violência) e cheguei à frente dela, estava a morrer, mas bolas fui a ANTEPENÚLTIMA!!! Ahhh que felicidade... Mais 1 ponto meu, outro da SB e não sei quantos da CM que ficou em 6º no escalão dela.

Depois deste final épico, dificilmente haveria tanta emoção nas restantes provas...

E assim foi. Depois da minha prova, é a altura da prova do Gajo e dos outros gajos da equipa. Depois de começarem vejo a SB que me diz:

-O Gajo já vem todo rebentado no 1º km...
Bolas...

Passa então o NP com aspecto que iria ao podium (para não variar), passa o H com um ar de alface fresca, e passa o Gajo com uma carunga, parecia que ia a fugir do fim do mundo... Passa o LBZ com um ar super feliz, e o N com um ar... Realmente quem tira o alcatrão ao N, tira-lhe tudo...
Veredicto geral:

A prova era muito difícil!!!

Depois da prova dos gajos, a prova dos gajos mais velhos. Tínhamos o F, o NM, o J e o TZ.

Também eles fizeram provas 5* e acharam o percurso difícil.

Tivemos um 2º lugar e um 3º lugar e fomos a equipa nº11 (em 21). Nada mau...

Para mim foi espectacular depois de tudo o que passei no ultimo mês, chegar em antepenúltimo lugar, foi a felicidade numa descida, subida e recta da meta!!

Que tempo é que fiz??? Nem sei, nem vi, nem quis ver... O importante era poder estar ali e sentir o vento na cara...

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

De laranja a melão e a coincidência...

Antes de mais um excelente 2019 para todos...

Para mim o final de 2018 e inicio de 2019 foram um pouco maus, mas se não fosse assim não era a mesma coisa. O tanas, bolas não há descanso...

Então, comecei o mês de Dezembro ainda com alguma energia, fiz uns treinos para preparar a São Silvestre de Lisboa. Este ano ia ser especial, era a prova 100 para o N. Não podia faltar a esta celebração, o N tem sido um grande apoio para mim, queria muito estar bem na São Silvestre não só porque adoro aquela prova, com a iluminação de natal a subida mítica ao Marquês e a descida até à meta, mas pelo N...

Então comecei o mês a treinar, fiz o trail de Alcanena (sim terminei e não fui a ultima) com alguma dificuldade, senti muita fraqueza nas pernas, etzisses, mas diverti-me na palheta com os vassouras e sozinha, com os fones nos ouvidos, foi tão bom correr lá em cima na serra, a saltar as pedras, quase a tralhar umas 10 vezes (pernas para cima ET!!!)...

Comecei as minhas merecidas férias dia 20, e dia 20 fiz uma visita forçada às urgências do Hospital da zona... A minha anemia piorou, a laranja andava a fazer das suas... Raios partam a laranja... Levei um saquinho de ferro pela veia e fui para casa, com indicação de que deveria repousar...
Sim, sim, repouso, pois pois. E o treino de natal do grupo e a corrida solidária de Coruche?? Não se fazem repousada. Desde que a minha mãe não sonhe que ando a fazer estes atentados à minha saúde, não há stress... E desde que não haja escadas e subidas...

Então dia 22 lá estava a ET pronta para liderar a caminhada do treino de natal da equipa... Queria correr, mas não conseguia, estava a sentir-me cada vez mais debilitada... Percorremos a cidade, distribuímos sorrisos, votos de boas festas e chocolates. Tiramos um montão de fotos, foi mesmo bom, foram 5km muito divertidos, sem escadas nem subidas.

Ao final da tarde eu e o Gajo fomos para Coruche, para a corrida solidária. Eram mais 5km, não devia de ser difícil... Quando fomos para a zona de partida, encontramos o Filipe Torres. Finalmente falamos pessoalmente, e ele ficou a conhecer o Gajo.
Quando começou a corrida, eu ainda corri um pouco, mas as pernas foram ficando cada vez mais pesadas e tornou-se impossível correr. Até que começo a perceber que vamos subir à igreja do Castelo, onde os meus pais casaram... Aquilo tem uma escadaria imponente, naquela noite parecia que tinha milhares de degraus... Custou-me horrores subir aquilo. Quando dei por mim era a ultima...

-Ohhh ET isso para ti não é novidade. - Dizem vocês, mas naquela noite não sei porquê fiquei mesmo triste, acho que me "caiu a ficha", percebi que estava mesmo mal, lembrei-me que há 29 anos atrás também me custava subir escadas... Porcaria da laranja...
E lá fui eu sempre no final. O Gajo veio buscar-me e desta vez não ralhou comigo por ir atrás de uma senhora com evidente excesso de peso e com uns 70 anos... Foi caladinho. Mas a determinada altura comecei a correr uns metros, parava, andava e voltava a correr. Lá ultrapassei a tal senhora e mais um monte de gente e terminei...
O natal passou, e eu sempre a sentir-me pior, mas não quis dar parte de fraca, não queria ir novamente ao hospital...
E eis que chega o dia 29, o dia da São Silvestre de Lisboa. Nessa altura estava a sentir-me tão fraca que abandonei a ideia de fazer os 10km em modo caminhada. Ia só mesmo para o convívio. Ofereci o meu dorsal a uma companheira de caminhada, a ideia era ficar num ponto estratégico onde pudesse ver o pessoal a passar. Ia até fazer uns cartazes de apoio ao N... Mas a laranja não quis, raios partam a laranja que agora tem vida própria... Antes de almoço era evidente que tinha mesmo que ir para o hospital, e lá fui eu com o Gajo para as urgências... Quando fui observada, a médica que me viu, deu um novo nome à laranja:

- Você tem ai um melão!!!! - disse ela...

E porquê sempre fruta que eu gosto??? Porque não um dióspiro?? Ou iscas?? Ou uma couve de Bruxelas??
Enquanto aguardava pelo resultado das análises consegui convencer o Gajo a ir correr a São Silvestre, desde que levasse o telemóvel com ele (coisa que obviamente não fez). E fiquei sozinha naquela sala de espera, com mais um monte de gente, mas senti-me tão sozinha...
E eis que veio o resultado, tinha que ficar internada, pois tinha os valores tão baixos que era preciso levar sangue... Só nesse dia contei 7 picadelas, 2 injecções, 2 análises, 2 tentativas para porem o caterer e outra que resultou... Fiquei com os braços negros... Nessa altura a concidência, há precisamente 29 anos atrás, estive nas urgências daquele hospital (apesar de ter uma nova localização, é o mesmo nome) há 29 anos atrás tornei-me oficialmente ET, bolas até arrepia...

Uggghhhhhhhhhh

Nascer do sol no hospital...


Felizmente desta vez não tive que fazer a passagem de ano no hospital, depois de 2 saquitos de sangue e mais um de ferro tive alta no dia 31...
Os primeiros dias de 2019 foram muito maus, mas cerrei os dentes e aguentei sem ir ao hospital... Raios partam o melão...

Esta semana voltei ao trabalho, ainda meio zombie, mas muito melhor e dia 31, se correr tudo bem este melão vai à vida!!! Ahhhh toma lá ohh melão...

E com esta conversa toda de melões, só me apetece cantar, coração de melão, melão, melão, melão...











sexta-feira, 30 de novembro de 2018

segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Pinga Trail e a chuva de lama...

Este domingo foi dia de prova, de caminhada. Ahh pois, a caminhada também pode ser uma prova dura, e a caminhada do Pinga Trail foi das boas, mesmo como gostamos.

Na sexta feira tinha andado a ler que havia alerta de CHUVA DE LAMA!!!! A única chuva de lama que vi, foi no domingo, porque choveu muito e andei a patinar na lama, podemos considerar isto como chuva de lama?? Acho que sim.

Então, no domingo logo cedo (muito cedo) a coisa prometia, tinha estado a chover e fizemos a viagem até Arruda do Vinhos debaixo de chuva.
Os amigos Kaninos, os organizadores, tiveram que alterar a partida e a chegada para a Adega Cooperativa de Arruda dos Vinhos, e alterar trajectos à ultima da hora, para garantir alguma protecção aos atletas na partida e na chegada. Comer bifanas à chuva não é agradável... Mesmo assim conseguiram garantir um ambiente de festa. O Hugo Água era o speaker, a animação estava garantida.
Tivemos 2 estreantes nas lides do trail, o M que ia com o Gajo a Maggie, a GN e o A ao trail longo, e a L que veio participar na caminhada, comigo, a M, a AM e o LB. O resto do pessoal ia ao curto.

A nossa caminhada tinha 11,9km, e prometia ser das boas. Depois da partida dos trails fiquei a olhar para o pessoal que se alinhava para a caminhada. Desde "caminhantes profissionais" com camisolas polares e capas gigantes, até pessoal com ténis de pano e chapéu de chuva. Vi alguns "caminhantes profissionais" com mochilas GIGANTES. Estive quase para ir perguntar ao grupo em questão, o que é que levavam nas mochilas...
Será que...
- Levavam o portátil, para se sentarem no meio do percurso a trabalhar??
- Levavam material para fazerem almoço, panelas, pratos, fogareiro??
- Levavam tendas para acampar??
- Levavam um corpo para enterrar na serra??
- Levavam.....?????

Como podem imaginar tivemos motivo de conversa animada durante uns kms a imaginar o que estaria naquelas mochilas.

A nossa caminhada começou animada, fomos dando umas dicas à L. Como posicionar os pés nas descidas, andar depressa nas zonas de lama, tentar andar em locais com vegetação... Isto de andar em vez de correr tem os seus truques, principalmente em descidas com lama. Se alguma vez ouvirem uma louca a gritar no cimo de uma descida:

- Agora é fechar os olhos e correr como não houvesse amanhã!!!

Sou eu. Só espero é que ninguém o faça...

Logo no inicio tentamos fugir ao pessoal que ia com ténis de pano. para não ficarmos entalados em single tracks... Isto de caminhar também tem estratégias.
Ia super bem, até chegar à 1ª subida, numa zona de vinhas. Tinha um desnível jeitoso, e lama, lama daquela que se agarra aos ténis e é quase preciso puxar a perna com as mãos, porque o pé fica engolido na lama. É nestas alturas que agradeço a mim própria não lavar os ténis. Nunca lavo os ténis, deixo-os na varada e espero que chova. Lavar para quê?? Para me chatear de andar na lama porque os ténis estavam limpinhos???

Lavar para quê??

Até ficaram com uma sola de barro...


Essa 1ª subida custou-me horrores, tenho andado com uma pequena anemia que pelos vistos ainda não passou, cheguei lá acima a ver tudo a andar à roda...

Depois de mais umas subidas e descidas na lama fofa, chegamos a uma zona com "transito parado"... Ouvimos o som de agua a passar com alguma violência, mas não conseguíamos perceber porque estava tudo parado, até que... Ohhh não...
Tínhamos que atravessar o riacho que estava um aspecto agressivo. A organização teve que pôr uma corda para ajudar à passagem e havia pessoal a ajudar. Fiquei um pouco assustada. Mas ao ver a reacção da L, fiquei mais calma, ela estava super entusiasmada por se meter num riacho com água até quase à cintura. Ohhh ET, bolas já fizeste coisas piores, vamos lá sem medo, vá menos medo.

Vista para a coisa... Foto da M



Não era a ET, mas podia ter sido...

Felizmente não há fotos da minha passagem... Não foi fácil, mas fiz. Molhei-me até à cintura, e se não fosse um Kanino que estava na água a ajudar o pessoal a passar, estava provavelmente agora a boiar no Tejo. Tá feito.

Depois foi andar mais uns 6km com os pés a boiar dentro dos ténis.
O percurso foi muito bonito, interessante e com um bom grau de dificuldade, excelente. Passamos por uma casa antiga, linda, mas abandonada que tinha um penico no meio do caminho. Porquê??? Não sei mas foi engraçado.

Estará assombrada??

Porquê???


E vimos renas, sim parece que o Pai Natal está de férias na Arruda dos Vinhos, deve ser pela pinga, que havia no abastecimento, sim aqui a ET também provou a água pé, que estava bem boa.

As renas do Pai Natal


Quase no final apanhamos uma parte de vinha com aquela lama movediça onde a AM ia perdendo a sola de um dos ténis. Não se riam!!! Coitada teve que vir com a sola na mão durante uns bons 2km...


Terminamos quase ao mesmo tempo que a malta do curto. A Maggie e a GN tiveram direito a pódio, e mais tarde tivemos a noticia de que o N também tinha tido direito a pódio na corrida Luzia Dias!!

Parabéns N!!

E parabéns à organização desta prova, adoramos a caminhada, bem marcada, difícil qb, excelente!!